Franquia de vending machine com produtos e serviços para ciclistas é opção para aumentar faturamento

Bike Station oferece de snacks a bomba para encher pneu; investimento é de R$ 40 mil

Aproveitar um mercado com demanda crescente para aumentar o faturamento e agregar valor ao estabelecimento sem precisar fazer alterações no ponto de venda: é isso que propõe a Bike Station (www.bikestation.com.br) aos varejistas e outros investidores. Lançada em setembro, a franquia instala vending machines 24h com produtos e serviços voltados a ciclistas – de snacks e bebidas a serviços gratuitos como bomba para encher pneus e ferramentas de manutenção básica.

A implantação de ciclovias em ruas e avenidas de grandes capitais do país tem estimulado o uso das bikes e, consequentemente, o crescimento da demanda por serviços que atendam os atletas de rua. “Apoiamos o uso desse meio de transporte saudável e ecologicamente correto. Por isso buscamos locais como postos de gasolina, hotéis, academias e lanchonetes que tenham grande fluxo de ciclistas. As máquinas ocupam pouco espaço e geram um faturamento médio de R$ 3.500”, afirma Sandro Wuicik, sócio-fundador da Bike Station.

Foi o próprio Sandro quem testou o modelo: as primeiras unidades da Bike Station estão localizadas em postos de gasolina pertencentes a ele e seus sócios em Curitiba (PR). A ideia surgiu quando os fundadores, que praticam triathlon, notaram a ausência de serviços para ciclistas nos horários comuns de prática esportiva – de manhã bem cedo, de noite e aos domingos.

As vending machines são compostas por um mix de produtos homologados pela marca – câmaras de pneu, ferramentas básicas, sinalizadores (faróis), suplementos, água e isotônicos, entre outros. “Oferecemos essa flexibilidade para que não só os ciclistas aproveitem os serviços, mas qualquer esportista. Além disso, ajustamos os itens de uma região para outra”, explica Sandro.

O investimento para abrir uma unidade é de R$ 40 mil – incluindo estoque para iniciar a operação –, o acompanhamento das vendas é on-line e a manutenção é rápida e deve ser feita uma vez por semana, em média. Hoje são 11 unidades próprias, em Curitiba, Pinhais, Colombo e São Paulo, e a meta é ter 100 franquias em um ano. “Desenvolvemos um modelo moderno, com investimento e custo operacional baixos, fácil controle e com grande engajamento do público-alvo. Queremos levar nossa paixão pelo esporte a todas as regiões do Brasil”, declara o sócio-fundador da marca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.